Saiba o que o mercado e os clientes esperam de um wealth manager e confira dicas para potencializar o seu sucesso nessa área de atuação.

Você é um profissional da área financeira que tem o desejo de atuar como gestor de patrimônio familiar? Ser wealth manager requer muito conhecimento específico, discernimento, habilidades em alocar recursos, capacidade de acompanhar mudanças, tendências e inovações e, principalmente, experiência significativa na área de investimentos como gestor. Estes aprendizados e aperfeiçoamentos precisam ser constantes, e se consolidam com o passar dos anos.

Diante de todo o esforço e dedicação necessários, vale lembrar que essa é uma profissão recompensadora para aqueles profissionais que buscam alto nível de eficiência. A faixa salarial pode variar de R$11 mil a R$35 mil.

Existem alguns aspectos essenciais que abrem caminhos para se tornar um dos profissionais mais bem pagos da área de finanças. Você sabe quais são eles? Confira-os a seguir.

1. Conheça as principais certificações de um wealth manager que garantem notoriedade no mercado

A atividade do gestor de patrimônio familiar ainda não é regulamentada no Brasil. Por isso, não há a exigência de uma certificação para a atuação profissional. Porém, na prática, o gestor de grandes fortunas precisa se certificar para ser reconhecido e respeitado no mercado.

Dentre as principais certificações, destacam-se:

  • CFP: Certified Financial Planner, uma certificação estadunidense aplicada no Brasil pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).
  • CEA: Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).
  • CGA: Certificação de Gestores ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Dentre as certificações, a CFP, que é reconhecida e renomada mundialmente, é a mais utilizada por profissionais que pretendem atuar com gestor de patrimônio e muito bem vista por instituições financeiras. Entretanto, conseguir se certificar não é uma tarefa simples. Há alguns pré-requisitos para se submeter a este exame.

O primeiro, é ser graduado em uma instituição reconhecida pelo MEC. A comprovação profissional deve ser apresentada em uma das seis áreas que formam o exame:

  1. planejamento financeiro e ético;
  2. gestão de ativos e investimentos;
  3. planejamento de aposentadoria;
  4. gestão de riscos e seguros;
  5. planejamento fiscal;
  6. planejamento sucessório.

O segundo requisito é comprovar experiência em relacionamento direto com clientes pessoas físicas. Você deve garantir a experiência exigida trabalhando em uma das áreas citadas por no mínimo 3 anos sem supervisão, ou 1 ano, se o trabalho for supervisionado.

2. Qual o escopo dos serviços do wealth manager?

Atuar como wealth manager consiste em gerir recursos e/ou montar uma carteira de investimentos. No mercado, o escopo de atuação do gestor de patrimônio familiar ainda não está claro para muitas pessoas. O motivo disso é que existem diferentes especialidades quando se trata dessa profissão.

Em ambos os casos, quem faz a gestão dos recursos propriamente dita é setor de Asset Management de instituições financeiras. Esses gestores precisam possuir a certificação CGA e serem autorizados pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). O wealth manager, dependendo de onde atua, fornece as informações para o gestor do gestor de Asset Management. Veja as diferentes formas de atuação a seguir.

Atuação como Private Banker em Bancos

O profissional de wealth management que é funcionário de uma grande instituição financeira atua como Private Banker. Ele atende e assessora clientes a sanar necessidades relacionadas à constituição e acompanhamento de seu portfólio de investimentos.

Atuação em Family Office

O Family Office é uma instituição de gestão de patrimônio familiar. O wealth manager que atua por essa especialidade consiste em um agente de investimentos autônomo. Sua responsabilidade é transmitir as informações do cliente para um gestor de Asset Management. Neste caso, o gestor de Asset Management será o responsável por criar estruturas próprias ou terceirizá-las, por meio da montagem de carteira, com a combinação de estruturas de terceiros.

3. Boa formação e experiência são requisitos para potencializar o sucesso de um wealth manager

Formação acadêmica é um pré-requisito para retirar a principal certificação (CFP) e atuar como wealth manager. Porém, mais do que isso, o aprimoramento acadêmico deve ser constante na sua vida para que você tenha sucesso nesta profissão. Sendo assim, você deve investir em formações tradicionais, como uma boa graduação, um MBA, quem sabe até mesmo um Doutorado em instituições de alta qualidade, para fortalecer os seus fundamentos como gestor.

Além disso, claro, o constante aperfeiçoamento também deve ser parte da sua rotina:

  • esteja atento às mudanças na legislação concernente ao planejamento familiar;
  • estude a relação risco e retorno dos investimentos;
  • pesquise novas alternativas nacionais e internacionais.

Outro ponto importante é valorizar cada nova experiência que você adquirir na área. Lembre-se de sempre conhecer a realidade ou a necessidade da família, não só no que diz respeito ao seu patrimônio, seja ele financeiro, empresarial ou imobiliário. Tenha em mente que cada cliente possui um contexto, um perfil e uma conduta diferente. É na vivência que você passará a conhecer as principais alternativas de investimentos, as melhores rentabilidades, os procedimentos legais para a alocação dos recursos, e entenderá como propô-los de forma certeira e verdadeiramente customizada.

Se você ainda está iniciando a sua carreira, é interessante buscar trabalhar em um Family Office ou em bancos e buscar a mentoria de gestores experientes. Dessa forma, você vai aprimorar sua desenvoltura para lidar com um volume grande de recursos. Afinal, decisões erradas causadas pela inexperiência podem levar o cliente a perder recursos e, principalmente, manchar a sua imagem como gestor.

4. Construa uma boa rede de contatos

Participar de palestras, cursos e ter contato com profissionais experientes são boas formas de fazer networking e alavancar a sua carreira como wealth manager. Além disso, são oportunidades de obter informações e trocar experiências com outros profissionais da área.

Ao investir na construção dessa rede de contatos, preocupe-se em desenvolver um bom relacionamento com os responsáveis por gerenciar os produtos financeiros do Brasil e do exterior. Conhecer bem as instituições financeiras e seus representantes é crucial para uma excelente parceria entre você e seus clientes. Esse contato garante eficácia na gestão de patrimônio familiar porque ajuda a:

  • alocar investimentos nas melhores instituições (nacionais e internacionais);
  • minimizar os riscos;
  • potencializar a rentabilidade.

Vale destacar que é no exterior que, muitas vezes, são oferecidas oportunidades melhores de investimentos, de forma legal e segura. O que importa, na verdade, é a diversificação, um dos princípios básicos em investimentos.

5. Seja organizado e saiba transmitir confiança

O histórico dos clientes que buscam pelo serviço de wealth management  está sempre muito conectado a verdadeiros legados. Ou seja, histórias de familiares que se dedicaram e trabalharam a vida inteira para erguer um império. Os herdeiros, sem dúvidas, querem seguir a mesma trajetória fazendo com que o patrimônio perpetue. Portanto, ao depositar a responsabilidade da gestão de seu patrimônio nas mãos de um especialista, essas pessoas não vão querer contar com a sorte. Mas sim com um profissional que transmita confiança e tranquilidade ao tomar decisões em relação às aplicações financeiras.

Diante disso, as suas decisões precisam ser tomadas de maneira consciente. Um gestor de patrimônio eficaz  é aquele que sabe tomar as melhores decisões nos momentos certos, com habilidade de investir ou desinvestir quando é preciso, sempre tendo como foco a minimização do risco e aumento da rentabilidade. E, claramente, não é possível concretizar essa tarefa e transmitir confiança a herdeiros de grandes fortunas sem uma organização refinada.

Sendo assim, ter uma boa capacidade organização é indispensável para atuar como wealth manager. Ao desenvolver essa habilidade, você garante mais segurança e excelência nos serviços prestados. Então, a cada nova demanda de gerenciamos de patrimônio e Planejamento Patrimonial , procure ter fácil acesso às informações para otimizar o seu trabalho:

  • organize as informações essenciais sobre o cliente e seus ativos;
  • registre os custos fiscais e financeiros aplicáveis;
  • registre as alternativas e riscos;
  • construa o seu próprio sistema e metodologia de trabalho;
  • busque tornar seu processo de análise cada vez mais aperfeiçoado.

 

Após essa leitura, sem dúvidas você esclareceu diversas dúvidas relacionadas à profissão de wealth manager. Possui dúvidas específicas sobre gestão de patrimônio familiar? Juliano Pinheiro é referência em gestão do patrimônio e curadoria de mercado de capitais. Entre em contato enviando um e-mail para [email protected].