Se você pensa que a única função do profissional responsável pela gestão do patrimônio familiar é administrar o dinheiro da família, está muito enganado. O wealth mananger é muito mais do que um gestor de recursos financeiros, ele é o responsável por auxiliar a família a cuidar de todos os seus capitais, até daqueles que a família ainda não compreendeu e que somados formam o capital familiar. Mas, você sabe quais são esses capitais?

O capital familiar é formado pelo capital humano, capital intelectual, capital social e é claro o capital financeiro. Cada um deles possui seus objetivos e devem estar alinhados às metas da família, cuja missão é a busca da realização pessoal por cada um de seus membros e a preservação, em longo prazo, do patrimônio.

Capital financeiro

Ao pensar a gestão do capital financeiro, o gestor precisa traçar uma estratégia para melhor alocar os bens e propriedades, adequando-os ao perfil de conduta e risco da família. É preciso ter em mente que o objetivo de gerir o capital financeiro é aumentá-lo ao longo das gerações e garantir a distribuição de dividendos periodicamente. Assim, garante-se, também, a qualidade de vida dos membros da família.

O profissional precisa orientar a família em relação aos seus objetivos, que podem ser: garantir o crescimento e a preservação do patrimônio para filhos, netos e demais herdeiros ou assegurar renda para as gerações atuais e futuras com a manutenção de um alto padrão de vida.

Embora os dois objetivos possam ser parecidos, o primeiro garante a expansão do patrimônio com investimentos e o segundo está diretamente vinculado a gastos. Cabe ao wealth mananger definir com a família a melhor maneira de gerir o capital financeiro de acordo com suas metas, de forma precisa e esclarecedora.

Capital intelectual

O capital intelectual é aquele que ninguém nos tira, ou seja, é conhecimento e todos da família deveriam estar aptos a adquirir conhecimentos, tanto de formação desejada, quanto de gestão. O capital intelectual é o maior legado que os pais deixam para os filhos e que os ajudarão a manter o capital financeiro, perpetuando e aumentando o patrimônio.

A ideia é que os herdeiros possam gerir suas riquezas, de maneira independente, contribuindo com a família na gestão do patrimônio. A busca por capital intelectual deve ser contínua e vista pelos membros da família como algo fundamental para o sucesso das gerações vindouras.

E cabe inclusive ao wealth mananger orientá-los em relação à busca por capacitação, até mesmos para auxiliá-los na hora de traçar estratégias para a gestão do patrimônio. Quanto mais conhecimento família tem, melhor é o entendimento entre o gestor e seus membros em relação às decisões de investimentos.

Capital humano

O capital humano é, sem dúvidas, o mais valioso para uma família. Ele representa as pessoas que compõem o grupo familiar e sua mensuração é praticamente impossível de ser feita. Trata-se também da contribuição que cada membro pode dar ao grupo, por meio das relações, que devem ser afetuosas e não conflituosas.

Fazer a gestão do capital humano é buscar o desenvolvimento pessoal das pessoas para que se tornem íntegras, de acordo com os valores perpetuados pela própria família. O objetivo é, inclusive, a perpetuação desses valores, que perpassam a formação humana, ética e moral. A gestão do capital humano é pautada na convivência e no bem comum da família.

Capital social

O capital social é a preocupação da família com as pessoas de modo geral, sejam elas da família ou não. Trata-se da responsabilidade social que uma família bem estruturada e de sucesso financeiro costuma ter para com a sociedade. A gestão do capital social engloba filantropia, apoio a atividades culturais, esportivas ou de educação. Cabe à família decidir, junto ao wealth mananger, o que mais lhe agradaria em termos de ações sociais.

As famílias com grandes fortunas geralmente contribuem com a sociedade, primeiramente porque acreditam que podem auxiliar na mudança social e, também, porque se sentem no dever de retribuir o sucesso angariado por meio de seus negócios.

Dessa forma, ao fazer a gestão dos quatro capitais da família, o gestor do patrimônio familiar poderá, então, realizar seu planejamento, com base nos objetivos de cada um dos capitais da família. Não é um trabalho fácil, mas é muito compensador, não apenas para a família e seus membros, como também para a sociedade.

Juliano Pinheiro